ILC Brazil

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Gênero e Envelhecimento - II Fórum Internacional da Longevidade

II Fórum Internacional da Longevidade

O II Fórum Internacional de Longevidade foi realizado nos dias 16 e 17 de outubro de 2014, na cidade do Rio de Janeiro, com o tema “Envelhecimento e Gênero”, por iniciativa e organização do Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-Brasil) em parceria com Bradesco Seguros, Universidade Corporativa do Seguro (UniverSeg), Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Cepe) – vinculado ao Instituto Vital Brazil (IVB) – e parceiros da academia, governo, organizações da sociedade civil e agências especializadas da Organização das Nações Unidas.[1]

A concepção do Fórum se baseou na construção social do que significa ser homem ou mulher em diferentes sociedades e suas implicações no que toca a longevidade, no aumento da expectativa de vida em 30 anos no último século; nas evidências de que as mulheres são mais longevas do que os homens e, com muito mais frequência, cuidam de todos os integrantes da família, vivendo mais tempo sozinhas e, em geral, ficando sem cuidado. A partir dessas referências, colocaram-se as seguintes questões: estão tendo, ou terão, os idosos, e em especial as mulheres, todos os capitais necessários à qualidade de vida esperada: o capital vital (saúde), o financeiro (economias acumuladas e aposentadoria), o social (interação e atividades em grupo) e o conhecimento (educação continuada, atualização)?

Os debates empreendidos no II Fórum Internacional de Longevidade analisaram perspectivas acadêmicas, econômicas e regionais – com análises de América Latina, América do Norte, Europa, Australásia, África, Oriente Médio e Ásia. Em enfoque mais específico, examinou-se o envelhecimento no Brasil – particularmente no tocante a Saúde – também explorando feminilidade e masculinidade como preditores das condições de saúde com o avanço da idade. Em simpósio satélite debateu-se a influência do envelhecimento na pele explorando também aí a perspectiva de gênero. As discussões sobre trabalho, política, finanças e seguridade social aportaram aspectos das diferenças entre mulheres e homens desenvolvidas ao longo do curso de vida, com reflexos no processo de envelhecimento. As complexas questões relacionadas a direitos das pessoas idosas foram abordadas através de discussões para as quais contribuíram em particular as principais organizações intergovernamentais e internacionais da sociedade civil.

Em sessões plenárias foram discutidas as principais questões integrantes do Fórum, refletindo sobre as políticas requeridas para seu encaminhamento e sobre a proposição da “Carta sobre Gênero e Envelhecimento”, debatida e pactuada por todos os participantes – palestrantes e público.

Para baixar a Carta sobre Gênero e Envelhecimento acesse a nossa página de publicações.

Acesse o Programa do II Fórum Internacional da Longevidade.

[1] Centro Internacional de Longevidade, Argentina; Comissão Econômica das Nações Unidas para a Europa (UNECE); Comitê de ONGs para o Envelhecimento das Nações Unidas, Genebra; Conselho de Serviço Social de Hong Kong; Galderma Brasil; Governo do Canadá; Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA); HelpAge International; Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA); Instituto de Pesquisas Médicas e de Saúde da Austrália do Sul; Mulheres & Legislação no Sul da África, Moçambique; Organização Internacional do Trabalho (OIT); Organização Mundial da Saúde (OMS); Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE); Rede Globo-CBN; Secretaria Nacional para Crianças, Adolescentes e Famílias, Argentina; Sociedade Americana de Gerontologia; Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG); Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); Universidade de Campinas (UNICAMP); Universidade de Montreal; Universidade de Oxford; Universidade de São Paulo (USP); Universidade de Surrey e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para deixar algum comentário ou tirar uma dúvida clique aqui.